Déjà Vu a brasileira

Em “O espírito animal“, Akerlof e Shiller parecem antecipar um alguns debates um tanto quanto paradoxais do noticiário econômico nacional…

“Os empresários e economistas sempre tiveram dificuldade em entender a ideia de economia superaquecida, em conseqüência de suas estreitas associações com o espírito animal – conceito com que nem sempre se sentem à vontade. Na imprensa popular, o termo economia superaquecida, na acepção que adotaremos nesse livro, denota uma situação em que a confiança ultrapassou os limites normais, em que parcela crescente das pessoas abandonou o cepticismo atual em relação à economia e está predisposta a acreditar em histórias sobre novo surto de prosperidade. É uma época em que os consumidores gastam com negligência e os investidores cometem erros graves, sob a influência de gestores ou consultores que lançam estratégias inovadoras e ousadas, na esperança de que outros as executem, por não se sentirem confiantes quanto à solidez da proposta, para agirem por conta própria. É um tempo em que a corrupção e a má-fé correm soltas, pois confiam na credulidade do público e na apatia dos reguladores. No entanto, a corrupção só é conhecida depois do fato consumado, quando a euforia cede lugar à prostração.” (p.71 edição brasileira)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: